Pular para o conteúdo principal

[SESSÃO DE RESENHAS] Filme: Esquadrão Suicida







Reúna um time dos super vilões mais perigosos já encarcerados, dê a eles o arsenal mais poderoso do qual o governo dispõe e os envie a uma missão para derrotar uma entidade enigmática e insuperável que a agente governamental Amanda Waller (Viola Davis) decidiu que só pode ser vencida por indivíduos desprezíveis e com nada a perder. No então, assim que o improvável time percebe que eles não foram escolhidos para vencerem, e sim para falharem inevitavelmente, será que o Esquadrão Suicida vai morrer tentando concluir a missão ou decidem que é cada um por si?
Elenco: Jared Leto, Will Smith, Margot Robbie, Ben Affleck, Jai Courtney, Cara Delevingne, Joel Kinnaman, Gary Sinise e mais.
Direção: David Ayer
Gênero: Ação
Duração: 123 min.
Distribuidora: Warner Bros
Classificação: 12 Anos

       

           Oi gente! Voltei!!! Voltei e trouxe mais uma resenha de filme, porque ultimamente estou assistindo mais filmes que lendo, mas fiquem tranquilos, que em breve trarei mais livros para resenhar, devido a faculdade, a gente tem que ler outras coisas (adoro...)!
                Adoro nada, o que eu adoro agora é essa obra-prima da DC Comics! Esquadrão Suicida, ah... O filme que todos esperavam para tirar suas dúvidas foi bombardeado pelo site Rotten Tomatoes, o mesmo que liberou certificado para "Caça-Fantasmas". Antes que você me diga que está tudo errado, porque eu sei que está, vou deixar um comentário aqui para você, não siga as críticas, assista, tira suas dúvidas. E que Deus abençoe Viola Davis. Ou Amanda Waller. Ela disse que se atuou no filme, então. Deixo as duas, ou uma só aqui para você.
                O filme que recebeu mais cortes na história do cinema, porque nunca vi um filme cortar tantas cenas que inclusive, estavam naquele trailer que você assistiu totalmente animado há um ano atrás. É triste, caro leitor, mas aqui vemos uma nova jogada de marketing da DC, provavelmente terá muita cena extra no DVD. Adoro o empreendedorismo deles, sabem jogar na publicidade de monte! Mas a gente não tem grana para comprar DVD não, fica a dica também, viu DC? 
                 Mas vamos falar do pedacinho do céu que é esse filme. Muita gente criticou o Coringa do Jared Leto recebendo comparações de MC Guimé. Que bonito né? Horrível, sim, mas vamos voltar às HQs! Leto deu um depoimento dizendo que se inspirou para fazer seu coringa em David Bowie, cantor falecido ainda no início desse ano. Remete bastante! E uma coisa muito valorizada
nesse filme pelo personagem foi sua "paixão" (sim, eu coloco entre aspas porque é uma relação abusiva, e bom, não classifico como paixão literalmente em seu sentido) pela Arlequina, sua sátira e ironia, seu jeito masoquista, assassino. Foi sensacional. Em minha opinião, Heath Ledger ainda segura seu reinado como Coringa, mas avaliando a participação do nosso colega do Thirty Seconds to Mars ele mandou muito bem! E não passou vergonha no papel não! Grande execução e grande trollagem no filme também, né DC Comics? (Quem assistiu sabe do que eu estou falando, se não entendeu, vá assistir para entender minha referência).

                 Arlequina. A personagem principal. Todos os holofotes ligado na garota mais doida existente. Sim, senhora! Margot Robbie de "Golpe Duplo" e "O Lobo de Wall-Stret"não existe aqui, dessa vez vemos uma garota vulnerável, apaixonada pelo pudinzinho. A referência dos quadrinhos novamente bate na porta e eu estou amando viver na era de ouro dos quadrinhos. Temos também um Easter-Egg envolvendo nossa maluca. Que eu não vou falar, mas é crucial na história do nosso querido Batman que aparece no filme. Falei demais né? Prosseguindo. Harley Quinn, ou anteriormente conhecida como a Doutora Harleen Quinzel é inteligente e ao mesmo tempo incrivelmente insana. Dupla perfeita do nosso Coringa, Joker, ou que você quiser chamá-lo! 
                Dou destaque ao El Diablo e ao Pistoleiro, ambos transformam um lado tão sentimental nessa história, nesse enredo, que você se sente na pele deles por suas famílias. Magia, ou June Moone tem um destaque especial. Como eu faço resenhas de livros, eu tentei pensar na Margo, lembra? Cidades de Papel? John Green, putz! Parecia outra atriz, sem brincadeira, eu me assustei com seu jeito de super-vilã, que com aquela carinha da Cara (essa frase ficou estranha), foi arrebatadora, mostrando que os bonitinhos podem ser os mais malignos. Você sofre com o Rick Flag, ri com quase todo mundo, inclusive com ele também, queria dar uns spoilers sobre a participação da Viola Davis de Deus... Mas não vou... Próximo personagem.
                 Amanda Waller, interpretada por Deus, ou Viola Davis para os mais íntimos, é uma das
personagens que mesmo sendo do governo, mesmo pós Batman Vs. Superman (Superman até então morto, só que vocês estão ligados que, bom, enfim... Vocês sabem, ou não o.O), acredita até o fim no time do Força Tarefa X, ou também, para os mais íntimos Esquadrão Suicida. Ela não descarta ninguém, ela tem um reforço visível do Flag com outro esquadrão também, o que faz com que a história seja muito bem construída, e você torce para os vilões. Eu perguntei para mim, "eu torci para um vilão?", mas eles são tão legais, que eu até me emociono. De verdade, valeu cada segundo daquela sessão nesse filme. 
                  Eu tenho observado que as pessoas vieram a comparar esta obra, este pedacinho da DC, ao Guardiões da Galáxia, filme da rival Marvel Comics. Vamos estabelecer limites crianças, fanboys, o que sejam! Cada uma é de um jeito, cada time é de um jeito, como a Liga da Justiça não é os Vingadores, o Esquadrão Suicida não é Guardiões da Galáxia. Os dois tem humor, que na Marvel estamos familiarizados, e na DC é uma novidade que deu muito certo, só não confunda as coisas. Os dois universos são incríveis demais para poder estabelecer uma discussão digna de um "The Guardian" ou "The New York Times".
           Slipknot, Katana, Capitão Bumerangue fizeram valer a pena o pouco tempo que participaram, e esse é o ponto que desconto do filme. E que pouco tempo, por favor, segundo Esquadrão Suicida eu quero mais Bumerangue!! Eu quero a pink também (a pink é o unicórnio que aparece no trailer). Quero. Já aviso ao Sr. Zack Snyder. Fica aí se você clicar nesse review, ok Zack? 
                   Outro ponto que, todo mundo está comentando e se eu não comentasse eu poderia ir embora e excluir esse blog é a trilha sonora. Defina essa trilha sonora em uma palavra. Não consigo fazer isso. É demais para mim, um desafio grande demais para mentes pequenas! (aka Luthor <3). Panic! At the Disco (Queen cover), Skrillex, Imagine Dragons, Twenty One Pilots, Eminem. Respira. Muita gente boa. Muita música boa! Deu toda a magia (mas não é a Cara Delevigne) no filme, nas cenas de muita ação, de apresentação aos personagens. Palmas, DC! Tudo muito bem executado dos quadrinhos, inclusive o visual, a estética de cada elemento adaptado. Sem palavras, porque todas elas sumiram agora.

Nota: 4.5/5.0 


Gostou da minha resenha? Comente! Siga nas redes sociais para falar comigo:
TWITTER: @paulamcbooks
INSTAGRAM: @paulamcbooks
FACEBOOK: Paula Mirabelli Basílio // Página: Paula M. C. Basílio
                    











Comentários

  1. Quero dizer-lhe que adoro os filmes porque são muito interessantes, podemos encontrar de diferentes gêneros. De forma interessante, o criador optou por inserir uma cena de abertura com personagens novos, o que acaba sendo um choque para o espectador. Desde que vi o elenco de Esquadrão Suicida imaginei que seria uma grande produção, já que tem a participação de atores muito reconhecidos, pessoalmente eu irei ver por causo do ator Jared Leto, é muito comprometido. Ele recentemente atuou em Blade Runner 2049. É um dos melhores Ficção Cientifica Filmes, e vale muito la pena ver, os recomendo muito.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais vistas

Resenha: The Roman - Sylvain Reynard

LANÇAMENTO: 06/12/2016
TÍTULO: THE ROMAN
GÊNERO: FICÇÃO, THRILLER, ROMANCE
AUTOR: SYLVAIN REYNARD
NÚMERO DE PÁGINAS: 300
EDITORA: EVERAFTER ROMANCE
IDIOMA: INGLÊS



SINOPSE
Raven e sua irmã, Cara, estão à mercê de um pequeno destacamento de vampiros florentinos, que estão entregando-as como uma oferta de paz para a temida Curia em Roma. Embora não tenha certeza de que William sobreviveu ao golpe que derrubou seu principado, Raven está determinada a proteger sua irmã a qualquer custo, mesmo que isso signifique desafiar Borek, o comandante do destacamento. Em um esforço para impedir que Raven caia nas mãos de seus inimigos, William se põe à mercê do romano, o perigoso e misterioso rei vampiro da Itália. Mas o romano não é o que ele espera ... Alianças e inimizades mudarão e se fundirão quando William luta para salvar a mulher que ama e seu principado, sem mergulhar a população de vampiros numa guerra mundial. Esta conclusão impressionante para a série florentina terá leitores em toda a Itália e além …

Review: The Roman - Sylvain Reynard

RELEASE DATE: DECEMBER 6TH
TITLE: THE ROMAN
GENRE: FICTION, ROMANCE, THRILLER
AUTHOR: SYLVAIN REYNARD
PAPERBACK: 300 PAGES
PUBLISHER: EVERAFTER ROMANCE
LANGUAGE: ENGLISH




SYNOPSIS
Raven and her sister, Cara, are at the mercy of a small detachment of Florentine vampyres, who are delivering them as a peace offering to the feared Curia in Rome.
Though she’s unsure William survived the coup that toppled his principality, Raven is determined to protect her sister at all costs, even if it means challenging Borek, the commander of the detachment.
In an effort to keep Raven from falling into the hands of his enemies, William puts himself at the mercy of the Roman, the dangerous and mysterious vampyre king of Italy. But the Roman is not what he expects …
Alliances and enmities will shift and merge as William struggles to save the woman he loves and his principality, without plunging the vampyre population into a world war. This stunning conclusion to the Florentine series will take readers across Italy and…

Entrevista com o fenômeno literário, J. A. Redmerski

Hoje o blog recebe uma das autoras mais vendidas ao redor do mundo, ocupando o primeiro lugar na lista dos jornais The New York Times, USA Today e Wall Street Journal. Suas obras já foram traduzidas para mais 20 idiomas! Aqui ela bate um papo comigo sobre algumas novidades para os fãs, inspirações para a sua escrita e muito mais!



Seus trabalhos têm sido traduzido em mais de vinte idiomas. Wow, isso é definitivamente grande! Você já imaginou chegar onde está agora?
Eu sempre sonhei isso, mas eu realmente nunca imaginei o sucesso – é algo surpreendente e arrebatador!

Por que você começou a escrever? Você teve alguma inspiração por alguns autores e seus trabalhos?
Eu comecei a escrever aos 13 – romances, enfim; mas antes disso eu sempre estive escrevendo algo. Eu fui inspirada principalmente por autores como Anne Rice e Neil Gaiman, dois de meus autores preferidos.

Você tem planos para traduzir seus outros livros para o português aqui no Brasil?
Eu adoraria ter todos os meus livros traduzidos,…